Frango paranaense volta a “ciscar” no mercado chinês

Frango paranaense volta a “ciscar” no mercado chinês

quarta-feira, 26 de abril de 2017

Rate this article:
No rating
Autoridades sanitárias reabilitaram as exportações de três plantas brasileiras. Duas já tinham obtido a liberação.
A China reabriu nesta terça-feira (18) o mercado para três frigoríficos exportadores de carne de frango: a unidade da Seara de Amparo (SP), da BRA em Dourados (MS) e da paranaense Copacol, de Cafelândia.
 
A suspensão temporária havia sido determinada em setembro de 2016, cinco meses antes da deflagração da Operação Carne Fraca, realizada pela Polícia Federal. O motivo seria a falta de adequação às normas sanitárias exigidas pelo país asiático e atingiu, além das unidades acima, outras duas plantas do Paraná: uma da JBS em Rolândia e uma da Cooperativa Agroindustrial LAR, em Matelândia. Estas duas já tinham conseguido retomar os embarques anteriormente.
 
Segundo a Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA), a reabertura foi consolidada pela Administração Geral de Quarentena, Inspeção e Supervisão da Qualidade da República Popular da China (AQSIQ). Para que as exportações de frango das três empresas sigam rumo ao país asiático, falta apenas a conclusão do trâmite oficial realizado pelos governos brasileiro e chinês .
 
“A reabilitação destas unidades frigoríficas é um gesto de grande confiança das autoridades chinesas no sistema produtivo brasileiro. Sob a liderança do Ministro Blairo Maggi, o setor de proteína animal brasileiro tem trabalhado fortemente para recuperar a credibilidade internacional, após as consequências da divulgação do Carne Fraca. Estas reabilitações são amostras dos avanços conquistados”, ressalta Francisco Turra, presidente-executivo da ABPA.
 
A retomada é fundamental para a paranaense Copacol, que tem cerca de 25% da produção de frango destinada ao mercado chinês, informa Valdemir Paulo dos Santos, superintendente comercial da cooperativa. Ele explica que, durante o período do embargo, a companhia buscou novos mercados para compensar a ausência, mas espera que o primeiro embarque à China aconteça já na próxima semana.
 
“As cinco empresas que sofreram com a medida enviaram planos de ação através do Ministério da Agricultura já em outubro. Como cada uma tinha uma situação diferente, a situação só foi avaliada e normalizada agora [pelas autoridades chinesas], o que retardou o processo de reabilitação”, afirma Valdemir.
 
Frango é negócio da China
O Brasil fornece 80% da carne de frango importada pelos chineses. Segundo a Sociedade Nacional de Agricultura (SNA), a China é o segundo maior comprador do frango brasileiro (11% das exportações totais), atrás apenas da Arábia Saudita (17%).
 
Após mais de 30 países anunciarem a suspensão da compra de carne brasileira, a reabertura do comércio de frango com a China pode significar alívio para pelo menos uma parte dos 8 mil avicultores em atividade no Paraná.
Maior exportador da região Sul do Brasil, o estado vendeu 1,5 bilhão em quilos de carne de frango à China em 2016, segundo dados do Sindiavipar (Sindicato das Indústrias de Produtos Avícolas do Estado do Paraná) - 35% do total nacional.
 
 AGRONEGÓCIO GAZETA DO POVO

Number of views (39)/Comments (0)

Tags:

Please login or register to post comments.

Cotação (máx)
R$ 2,20
Frango/PR *
R$ 2,25
Frango/CE
R$ 2,25
Frango/SC *
R$ 2,30
Frango/RS *
R$ 2,50
Frango/SP *
R$ 76,48
OvoBranco/SP *
R$ 90,31
OvoVermelho/SP *
R$ 58,00
Soja/RS
R$ 60,00
Soja/PR
R$ 62,00
Soja/SC
R$ 22,75
Milho/PR
R$ 25,00
Milho/RS
R$ 25,13
Milho/SC
R$ 25,13
Milho/SP
R$ 3,52
Frango Resfriado/SP *



Powered by BlueServer

O Setor Avícola é um veículo de propriedade do Grupo Agro.

Endereço: Bairro Santa Maria, Rua Curitiba, 727d. CEP 89812150. Chapecó - SC.

Telefone: (49) 3304 - 9240.